Porquê Economia Social?

A economia social, para além do seu peso quantitativo, tem vindo nas últimas décadas a afirmar a sua capacidade de colaborar de uma forma eficaz para:

  • Resolução dos novos problemas sociais, reforçando a sua posição como indispensável para o desenvolvimento económico sustentável e estável,
  • Adequar os serviços às necessidades, valorizando as actividades económicas ao serviço das necessidades sociais

Objectivos do Portugal Economia Social

Promover a Economia Social Solidária estimular uma Economia Social Sustentável

  • Apresentar / promover projectos económicos e sociais e fomentar a  criação de “joint ventures” para o desenvolvimento cooperativo;
  • Mostrar respostas para a satisfação de necessidades sociais mas também  de novas soluções institucionais e legais que desenvolvem formas de  organização económica mais plurais, democráticas e participativas,  alternativas à economia de mercado;
  • Dinamizar e apoiar o empreendedorismo social e estimular a capacidade  empreendedora dos/as cidadãos/ãs e das organizações, visando o desenvolvimento sustentável e a coesão económica, por via da  estimulação à criação de riqueza;
  • Mostrar produtos e serviços que servem o sector da economia social;
  • Promover o desenvolvimento local através de respostas às situações,  públicos e regiões mais deficitárias, levando à criação de emprego e ao  estímulo à participação;
  • Promover a coesão social, através do combate a diferentes formas  de exclusão social e pobreza, estimulando a criação de emprego e  melhorando as condições de empregabilidade;
  • Facilitar a interacção entre o primeiro, o segundo e o terceiro sector

PESO DO  SECTOR NA  ECONOMIA  NACIONAL

55.300

NR. DE ENTIDADES ENVOLVIDAS

260.000

NR. DE TRABALHADORES ENVOLVIDOS

3.8%

CONTRIBUTO PARA O PIB COM TRABALHO VOLUNTÁRIO

5.5%

EMPREGO TOTAL REMUNERADO

11.5%

POPULAÇÃO QUE EFECTUA TRABALHO VOLUNTÁRIO

2.8%

PRODUÇÃO NACIONAL E DO VAB NACIONAL

4,6% do total

PAGAMENTO DAS REMUNERAÇÕES PAGAS NA ECONOMIA

2.4%

PAGAMENTO DA DESPESA DE CONSUMO FINAL

14.177,9 milhões de euros

RECURSOS UTILIZADOS

Fonte: INE, CASES 2010